Desenvolve RR capacita técnicos para atendimento ao agricultor

Atendimento eficiente e técnicos preparados para esclarecer dúvidas dos produtores rurais interessados em obter crédito junto a Agência de Desenvolvimento do Estado de Roraima (Desenvolve RR)

26/09/2016

Ascom/Desenvolve RR

Atendimento eficiente e técnicos preparados para esclarecer dúvidas dos produtores rurais interessados em obter crédito junto a Agência de Desenvolvimento do Estado de Roraima (Desenvolve RR). Essas são algumas das características destacadas e exigidas pela governadora Suely Campos para atender a agricultura familiar.

 

E para estabelecer novo padrão de  atendimento dos programas de micro crédito da Desenvolve RR, cerca de 20 técnicos da Casas do Produtor Rural dos 14 municípios do Estrado participaram nesta segunda, 27, do Treinamento de Carta Consulta de Crédito, promovido em parceria com a Secretaria Estadual de Agricultura Pecuária e Abastecimento.

O treinamento foi realizado no período de manhã e tarde. Na programação houve palestras e apresentação de aspectos técnicos das atividades desempenhadas pelos técnicos rurais, os primeiros a identificar os agricultores com capacidade de obtenção de crédito.

Durante o treinamento foi possível esclarecer várias dúvidas, entre elas o Decreto 10.056/2009 que regulamenta o Fundo de Desenvolvimento Econômico e Social do Estado de Roraima (Funder), o qual disponibiliza os recursos a serem aplicados através da Desenvolve RR. Também foram apresentadas as taxas de juros, prazos e modalidades de financiamentos.

O presidente da Desenvolve RR, Weberson Reis Pessoa, afirma que os treinamentos de capacitação da instituição financeira e parceiros são importantes para alinhar o atendimento e reforçar o papel do técnico rural na promoção do desenvolvimento nos municípios.

 “Observamos que os técnicos estão mais próximos dos tomadores de crédito rural, vivenciando a realidade de cada município, tendo condições de identificar as oportunidades de investimento regionais, além de promover a aplicação do crédito como instrumento de inclusão”, explica Weberson.